Antes de ser formado por 26 estados mais o distrito federal e 5570 cidades, o Brasil era dividido por Capitanias Hereditárias, sistema criado pelos portugueses em 1530, numa tentativa de proteger suas terras de outros colonizadores europeus da época, dessa forma, nesse novo sistema cada pedaço de terra e seus habitantes ficavam sujeitos aos ”donatários”, nobres de confiança do imperador e autoridades máximas da Capitania.

Esses nobres tinham a obrigação de defender o território contra invasores, povoar, criar vilas e desenvolver a economia local, mas gozavam de privilégios como o poder para escravizar indígenas, recolher tributos (impostos) e explorar a região, mas tinham que repassar parte dos tributos a coroa.

Segundo o livro de história ”A Verdadeira Historia das Capitanias Hereditárias” de José Baptista Carvalho, a maioria das Capitanias Hereditárias não funcionaram, por uma serie de fatores, como, os indígenas que lutaram por liberdade, os recursos eram mal distribuídos, tinha também a coroa que cobrava 10% em impostos, e as constantes invasões de outros povos europeus. Todos esses fatores contribuíram para que as capitanias fossem aos poucos abandonadas. A primeira tentativa de colonização do brasil não funcionou e passou por uma reformulação e então foi instituído o Governo Geral.

Imagem reprodução – Wikipédia

Com o passar dos anos o Brasil foi organizado por Estados, novos nomes e divisões surgiram pelo território.

Como surgiu o nome ”Bahia”

Em 1821, o Estado da “Baía de Todos os Santos” passou a se chamar Bahia, seu nome foi inspirado por possuir a maior Baía do Brasil, perdendo apenas em nível mundial para a Baía Golfo de Bengala, localizada na Índia. Por curiosidade, o governo Português quando envia documentos para os lusos e filhos de imigrantes portugueses que vivem na Bahia, intitula o estado não por Bahia, mas sim por Baía. Como pode ser visto nesse trecho de documento da Secretaria da Administração Interna de Portugal:

Os nomes de cada estado do Brasil possuem uma razão única e muitas vezes cultural. Como a multiplicidade cultural do Brasil é vasta, novos estados ainda podem surgir, cerca de onze propostas de separação estão em tramitação nos tribunais do Brasil, se avançarem poderão alterar o mapa do país mais uma vez. Uma dessas propostas quer dividir a Bahia em dois estados diferentes, como pode ser visto nessa matéria da Istoé.

Anúncios