O presidente do Brasil, Bolsonaro, informou através de sua conta no twitter, os investimentos aeroportuários previstos, que serão obtidos no dia 15 de março, através de concessões em 12 aeroportos espalhados por 3 regiões do Brasil: Nordeste, Sudeste e Centro-oeste. Não há detalhes sobre as etapas em que serão realizados os investimentos, nem as empresas privadas que participarão das negociações.

Segundo o General Barros, o leilão dos aeroportos faz parte dos planos do governo, os quais visam realizar 23 concessões de portos e aeroportos, o prazo de concessão será de 30 anos. O leilão ocorrerá na bolsa de valores de São Paulo, informou o Planalto pelo Twitter.

No chamado Bloco centro-oeste, há 4 aeroportos, das cidades de Cuiabá, Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta, as quais receberão investimentos de R$ 539,7 milhões, R$ 85,1 milhões, R$ 73,4 milhões e R$ 72,5 milhões respectivamente, totalizando 770,6 milhões em verba investida. Os valores das outorgas somam R$ 9 milhões.

No Bloco do Sudeste estão os aeroportos de Vitória e Macaé, com R$ 323,6 milhões e R$ 268,1 milhões investidos respectivamente, com um total de R$ 591 milhões investidos. As outorgas somam R$ 435 milhões.

Confira os investimentos relativos ao nordeste, nesta imagem elaborada pelo Ler Agora. As outorgas da região somam R$ 1.7 bilhão.

Sales Associates Needed

 

PORTOS

Segundo o Ministro Tarcísio Freitas, o Ministério da Infraestrutura, assina hoje dois contratos de portos, com investimentos de R$ 16 bilhões de reais para o Porto de Açu, no Rio de Janeiro e R$ 175 milhões no Porto de Santarém, no Pará.

O contrato presume um terminal de uso privado (TUP) da empresa GNA, que movimentará aproximadamente 21 milhões de metros cúbicos de gás natural liquefeito (GNL) por dia. O contrato prevê ainda a construção de duas termelétricas com capacidade para abastecer 14 milhões de residencias. Os investimentos serão divididos em duas etapas, ”a 1ª fase, com investimento de R$ 8 bilhões, prevê a construção da UTE GNA I & II e do Terminal GNL.” e ”a 2ª fase, com investimento de R$ 8,5 bilhões, prevê a construção da UTE GNA III e IV e do Terminal Onshore.”

Segundo a Secretaria dos Portos “Os Terminais de Uso Privado (TUP) são empreendimentos cuja exploração das atividades portuárias ocorre sob o regime da iniciativa privada e melhoram a eficiência logística do país”. Os contratos poderão criar até 13 mil empregos diretos e indiretos no Brasil.

 

Acompanhe Ao-Vivo a coletiva sobre os contratos assinados para arrendamento do terminal:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s