Boletim Econômico da FEHOESP- Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo apurou o crescimento do setor saúde em 2018 por meio da análise de dados estatísticos oficiais, mas o funcionamento do sistema de saúde é ineficiente por falta de maior integração entre os setores público e privado

Em 2018 houve aumento no número de estabelecimentos de saúde, sensível crescimento na porcentagem de beneficiários de planos de saúde, crescimento de empregos no segmento e um considerável aumento de 26% na arrecadação do ICMS em produtos relacionados ao setor saúde. Estas conclusões fazem parte da quinta edição do Boletim Econômico da FEHOESP, que traz um balanço do que ocorreu com o setor no ano passado.

Arrecadação de impostos cresce no setor saúde

A arrecadação de Imposto de Circulação de Mercadorias (ICMS) em produtos relacionados ao setor da saúde cresceu 26% no acumulado de janeiro a outubro de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017, de acordo com dados mais recentes disponibilizados pela Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.

No acumulado de janeiro a dezembro de 2018, o número de estabelecimentos de saúde no Brasil cresceu 5,8%. No total, surgiram 18.194 novos estabelecimentos em relação ao mesmo período de 2017, destacando-se a abertura de 2.328 consultórios no Brasil e 278 unidades de empresas dedicadas à prestação de serviços de apoio de diagnose e terapia.

Houve aumento de 0,4% no número de beneficiários de planos de saúde no país e de 0,3% no Estado de São Paulo, no acumulado de janeiro a setembro de 2018, em relação ao mesmo período de 2017, último dado disponibilizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Empregos crescem com 82.707 novas vagas

No Brasil e Estado de São Paulo – no acumulado de janeiro a dezembro de 2018- segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho, houve abertura de 82.707 vagas nas atividades do setor de hospitais, clínicas e laboratórios no Brasil, totalizando o contingente de 2.234.940 trabalhadores.

Entre as atividades, destaca-se a criação de 32.611 postos de trabalho na atividade “atendimento hospitalar” e também a geração de 17.693 vagas de trabalho na atividade “médica ambulatorial”, no período em questão, em relação a dezembro de 2017.

O Estado de São Paulo registrou, em dezembro de 2018, o contingente de 735.260 trabalhadores no setor de hospitais, clínicas e laboratórios. No acumulado do ano, o setor gerou 24.085 vagas no Estado, destacando-se a geração de 7.607 postos na atividade “atendimento hospitalar”. O Estado de São Paulo emprega 33% do contingente de trabalhadores alocados no setor no país.

Na avaliação do presidente da FEHOESP, o médico Yussif Ali Mere Jr, os investimentos do setor privado na saúde vêm crescendo para suprir uma deficiência crônica da área pública. “Somam-se aos baixos investimentos do governo em saúde, a falta de integração entre os dois setores. Funcionam como dois segmentos independentes, causando desperdício e duplicidade de ações”, constata. O presidente da Federação dos Hospitais defende a necessidade de um sistema integrado, com parceria público-privada, melhor gestão e fiscalização.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s