Segundo informações da TeleSUR TV, uma empresa de mídia argentina, a Suprema Corte da Argentina decretou, por unanimidade, a prisão preventiva da ex-presidente Cristina Kirchner. Falta ainda a decisão do Senado para vedar sua imunidade política, com o intuito de que seja presa.

Kirchner está sendo processada por supostamente ter encoberto um ataque terrorista do Hezbollah (que possui células terroristas na América do Sul) contra a Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA), em 18 de julho de 1994, o qual vitimou 85 pessoas.

Segundo reportagem da folha de São Paulo, o governo argentino perdoou todos os 22 investigados por supostamente serem os responsáveis pelo ataque. Na acusação consta o envolvimento, para facilitar o atentado, de dois brasileiros e da polícia secreta da Argentina.

Kirchner (à esquerda) em encontro com Putin (Rússia)

No Twitter, Kirchner afirmou que faltam provas contra ela e que, “minhas casas foram revistadas. Quadros, objetos pessoais e fotos foram apreendidos”, completou

Anúncios