O ministro Gilmar Mendes (STF) negou habeas corpus para Orvanir Boschetti, Ismael Auer e Ozair Auer. Condenados por corrupção passiva e associação criminosa, eles eram investigados pela “operação lixinho”, iniciada em Aracruz (ES).

Orvanir e Ozair são ex-vereadores e Ismael secretário de infraestrutura da cidade. Segundo o STF, eles “integravam grupo criminoso que recebia vantagens ilegais da Ambitec, empresa prestadora de serviço de limpeza urbana e coleta de resíduo sólidos da cidade, entre 2009 a 2012”.

Os acusados foram condenados a uma pena de 24 anos, 11 meses e 13 dias de regime fechado e tiveram prisão preventiva decretada na 1° vara criminal de Aracruz, com justificativa: “para garantir a ordem pública” diante dos delitos, periculosidade e reintegração ao mundo do crime.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s