O Juiz Federal Marcelo Bretas, crítica pelo twitter, o uso político do massacre que ocorreu em Suzano (SP), hoje (13/03).

“Usar esse momento trágico como argumento de discurso político é exemplo claro de oportunismo e desumanidade”, avalia.

Dentre os políticos e figuras públicas que se manifestaram contra ou a favor do porte ou posse de armas estão:

Gleisi Hoffmann, presidente do PT, que declarou em rede social, “Toda solidariedade às vítimas da escola de Suzano. Tragédias como essa resultam do incentivo à violência e à liberação do uso de armas. O Brasil precisa de paz.

Já Guilherme Boulos, integrante do PSOL e MTST, disse, “É preciso dar um basta ao culto da violência, que apresenta armas como “ideal de força”.

Alguns perfis anônimos também se pronunciaram politicamente, dando a entender que a flexibilização em adquirir armas são a causa do problema. Segundo o General Mourão as armas utilizadas no crime são ilegais:

Major Olímpio também se pronunciou:

Flávio Boslonaro se pronunciou:

Entretanto nem todos usaram a tragédia como cabo político-ideológico, o prefeito de Salvador, ACM Neto, se expressou ao dizer que deseja que Deus dê forças aos amigos e familiares das vítimas.

O governador do estado de São Paulo, João Dória, afirmou que cancelou toda a agenda e partiu em direção ao local para acompanhar o desenrolar do caso, além de declarar luto oficial de 3 dias no estado, “Profundamente chocado com essa inexplicável tragédia. É muito triste! Minha total solidariedade e todo apoio às vítimas e aos familiares”, declarou pelo twitter.

O Planalto e o presidente não se pronunciaram sobre o incidente em São Paulo.

Confira o tuíte de Bretas:

RELEMBRE O CASO

Hoje (13), Atiradores abriram fogo em escola em Suzano (SP), 5 alunos foram assassinados e 1 funcionário. Segundo informações da polícia os dois indivíduos se suicidaram. Não se sabe a motivação dos ataques.

Vídeo que circula nas redes sociais mostra as vítimas do ataque. https://t.co/bexXY6t72Y

Anúncios

1 comentário »