Após denuncia do presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, sobre sequestro de seus funcionários pelo Serviço Bolivariano de Inteligência (SEBIN), ontem (21), o Ministério Público da Venezuela interligou os assessores de Guaidó a uma célula terrorista.

Sergio Marrero foi preso pelo Sebin enquanto estava em seu apartamento, localizado no bairro “Las Mercedes”, em Caracas. O ministro do Interior, Justiça e Paz, Néstor Reverol, disse que a ação é parte de uma operação que visa combater o terrorismo na Venezuela, “Nossos serviços de inteligência desarticularam, com o Ministério Público, uma célula terrorista que queria realizar diversos ataques seletivos”, informou.

Segundo materia publicada na Gazeta do Povo, Vergara, que não foi preso, informou aos jornais locais que antes de ser levado pelo Sebin, Marrero disse a ele que os efetivos plantaram dois fuzis e uma granada em sua casa.

Anúncios