O Ministério da Defesa anunciou uma atualização que visa melhorar o Sistema Integrado de Monitoramento (SISFRON), que é operado pelo Exército, consistirá no maior projeto de vigilância, em tempo real, das regiões de fronteiras em atividade no planeta. O ministério informou que através de satélites posicionados estrategicamente na órbita terrestre, será possível fazer varreduras em tempo real e identificar atos ilícitos em todos os 17 mil km de fronteiras com 10 países vizinhos.

Imagem reprodução internet

Atualmente o SISFRON atua com 90% de sua capacidade, utilizando tecnologia nacional, através de sensores, softwares e pessoal capacitado, monitora 650km das fronteiras de Mato Grosso do Sul. De acordo com o Ministério da Defesa, o projeto emprega tecnologia nacional de ponta, com radares fixos e móveis, antenas (infovias), além de equipamentos como sensores óticos, binóculos de visão termal e câmeras de longo alcance. A estrutura permite que as informações captadas pelos postos de vigilância cheguem em tempo real nos centros de operações, sendo interpretadas e usadas como suporte para a tomada de decisão. O satélite com imagem deverá entrar em operação em 2023.

Anúncios