A pedido do Ministério Público Federal (MPF), o juiz Rodrigo Parente Paiva, da 15ª vara da Justiça Federal, em Brasília, tornou réu o ex-presidente da república Michel Temer, em processo de corrupção envolvendo a empresa JBS. A investigação faz parte do “caso da mala”, que envolve o ex-assessor de Temer e ex-deputado federal, Rodrigo Rocha Loures.

De acordo com a procuradoria da República do Distrito Federal, Loures teria agido como intermediário ao receber uma mala com R$ 500 mil a ser entregue para Michel Temer, a ação tinha por intenção beneficiar a JBS junto ao Executivo Federal.

O momento da entrega foi registrado por um vídeo, o esquema envolveria outros pagamentos de valores semelhantes. O Temer tem até 10 dias para apresentar a defesa. Para o advogado que acompanha o caso e defende o réu, a ação é “desprovida de qualquer fundamento”.

Anúncios