José Olímpio Augusto Morelli, fiscal do IBAMA, que multou o presidente Jair Bolsonaro (PSL), foi exonerado do cargo de chefia que ocupava na instituição. A multa aplicada no valor de R$ 10 mil, por pesca irregular em zona de proteção ambiental, não foi paga por Bolsonaro.

O servidor disse, em entrevista a revista Piauí, que acredita que sua exoneração está ligada a multa aplicada ao presidente. “A conexão é total, fui punido por ter feito minha obrigação”, diz.

Morelli era chefe de divisão encarregado pela frota de seis heicopteros utlizados na fiscalização do desmatamento na floresta amazonica. O servidor foi informado de sua recisão no dia do rompimento da barregem de Brumadinho (MG), 25 de janeiro.

Anúncios