A “Hora da Terra” é um movimento, idealizado e promovido pela WWF, que se iniciou em 2007, no qual mais de 180 países participam, com o objetivo de “homenagear” e demonstrar preocupação com o meio ambiente. É comemorado anualmente, na noite de 30 de março.

A ONG WWF compartilhou no twitter, vídeos que mostram monumentos e atrações turísticas apagando suas luzes, ao redor do mundo. Países como Filipinas, Emirados Árabes Unidos, China, México, Costa Rica e França apagaram as luzes de seus principais pontos turísticos, por uma hora.

O evento que tem alcance mundial pode demonstrar uma conscientização sobre a necessidade de se alterar o padrão produtivo e limitar o uso de combustíveis fósseis, optando, em contrapartida por soluções renováveis.

https://twitter.com/earthhour/status/1112226272422162433?s=19

Mas, de nada adianta apagar as luzes,  em comemoração a uma data específica, se na prática o nível de poluição emitido pelos principais países do globo continua a aumentar e afetar a natureza negativamente. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), os países mais poluentes, Estados Unidos, China, Rússia e Índia, produzem juntos, anualmente, cerca de 17 milhões de toneladas de CO2.

Apesar da administração de Trump não reconhecer o aquecimento global, segundo a ONU, a temperatura do planeta poderá subir, entre 2° e 3°C até o ano de 2050, se nada for feito para reverter as alterações climáticas.



https://twitter.com/UNDP/status/1112146237040398337?s=19

Anúncios