O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, defendeu neste domingo (7) o projeto de lei Anti-crime. Em contato diretamente com o público, o ministro criou uma thread no twitter para defender seu projeto.

Para exemplificar a importância da pauta, Moro citou dois filmes, “[…] Já assistiu aqueles filmes norte-americanos com agentes policiais disfarçados infiltrando-se em gangues de criminosos, traficantes ou corruptos? Como Donnie Brasco ou The Infiltrator e que retratam casos reais”.

O ministro considera que a atual legislação é ultrapassada e, em alguns casos, impede que polícias infiltrados façam a prisão ao receberem armas ou drogas de um criminoso.

“O objetivo é melhorar a lei para permitir que agentes policiais brasileiros possam atuar de maneira disfarçada e revelar grandes esquemas de venda de drogas, armas ou de lavagem de dinheiro e que o criminoso assim descoberto vá para a prisão.

O ministro disse ainda que serão feitos investimentos em treinamento dos agentes, “que serão capacitados a atuar, revelar esquemas pré-existentes e expor organizações criminosas, uma armadilha para o criminoso incauto”. “Funciona lá fora, vai funcionar aqui”, completa Moro.

CRÍTICA

O humorista Pablo Villaça acredita que exemplificar o projeto com base em dois filmes americanos não passa muita confiança e se caracteriza como uma falha argumentativa.

APOIO

Marlos Ápyus, Jornalista, acredita que é necessário exemplificar de forma simples para facilitar o entendimento, “Estão zoando, mas Sérgio Moro faz o certo. Lembrem-se do tratamento dado por Silvio Santos ao Plano Real. É preciso explicar de uma forma que uma criança com 12 anos de idade consiga compreender”, conclui.

Anúncios