A bancada do partido “Novo” propôs uma ementa que proíbe itens de luxo, como lagostas e vinhos caros, sejam adquiridos em licitações. A informação foi publicada no Twitter oficial do partido, hoje (30), as 18h.

A iniciativa é uma resposta aos gastos de R$ 1,1 milhão do Supremo Tribunal Federal (STF), em comidas de primeira linha para a corte, denunciado pelo Estadão na semana passada.

Confira nota do Partido Novo:

“Os itens de consumo a serem adquiridos (..) devem ser de qualidade comum, não superior à mínima necessária para cumprir as finalidades às quais se destinam, sendo vedada a aquisição de artigos de luxo.”

Anúncios