O presidente Jair Bolsonaro defendeu, na sexta-feira (29), em evento de ruralistas na Agrishow, que fazendeiros não deveriam ser punidos por atirarem em alguém que invada sua propriedade privada. Para Bolsonaro essa medida aumentaria a segurança das fazendas.

“É uma maneira de ajudar a combater a violência no campo. Ao defender a sua propriedade privada ou a sua vida, o cidadão de bem poderá entrar no excludente de ilicitude. Ou seja, ele responde, mas não tem punição. É a forma que nós temos que proceder. Para que o outro lado que desrespeita a lei tema o cidadão de bem”
.

Reações políticas


O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse que a proposta antes de ser aplicada será estudada pelo governo.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou que o setor rural demanda uma proposta desse tipo a muito tempo, mas disse que existem pautas mais urgentes, a ministra deseja que Bolsonaro evite novas invasões de terra.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, não acha prudente dar aos fazendeiros salvo-conduto para matar, Maia acredita que o acesso a armas na área rural é necessário, mas é contra a falta de punição e proteção indiscriminada sobre os fazendeiros.
Anúncios