Desde o dia (3), os membros da Jihad Islâmica Hamas estão deliberadamente disparando mísseis e torpedos contra o território de Israel. O número só não é maior que em 2014, quando cerca de 4 mil projéteis foram disparados contra o povo israelense.

A agência de notícias do Hamas, Shehab divulgou vídeos de inúmeros lançamentos na Internet. Nenhuma negociação de cessar-fogo foi feita até o momento de publicação dessa matéria.

O Ler Agora noticiou ontem de forma completa o conflito que se desenvolve na região.

Nessa imagem divulgada nas redes sociais, é possível ver um lançador de foguetes do Hamas na torre da Mesquita.

O juiz da 7° vara criminal, Marcelo Bretas, se manifestou sobre o conflito, “o Estado de Israel tem o direito de defender seu território e seus cidadãos de ataques ilegítimos”. “Eventuais danos a civis inocentes serão de responsabilidade dos agressores que iniciaram os ataques”, completa.

O cartunista político, Carlos Latuff, denunciou que a Biblioteca Nacional da Palestina foi destruída num ataque israelense, inúmeros documentos históricos foram perdidos.

Confira outra manifestação do cartunista neste tuite:

Anúncios