O buffet entrou no alvo do Ministério Público e Tribunal de Contas da União (TCU)

A licitação do Supremo Tribunal Federal (STF) do Buffet que inclui medalhões de lagostas, vinhos importados e camarões banhados em manteiga queimada, foi suspensa hoje (6), pela juíza Federal Solange Salgado, do Distrito Federal.

A Advocacia Geral da União (AGU) irá recorrer da decisão, segundo informou o STF, afim de garantir que os alimentos orçados em até R$ 1,1 milhão cheguem aos ministros da corte.

Pará a juíza, o edital do Buffet de luxo não é necessário para a “manutenção” e “relevante” funcionamento do STF. A ação popular foi movida pela deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), ela entende a compra como “luxo desnecessário” e potencial ato lesivo à moralidade administrativa.

Anúncios