Rodrigo Maia estava presente na reunião

Em evento organizado pelo PSDB, Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo disse que o partido precisa ter “coragem” para criticar o atual governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), “não bajular os poderosos” e é necessário “pôr o dedo na ferida”. Alckmin deixou a presidência do partido para Bruno Araújo.

O ex-governador prestou solidariedade à Rodrigo Maia (DEM-RJ), e chamou a família Bolsonaro de oportunistas políticos, que de forma desleal “vem atacar a vida de homens públicos, jogando a sociedade contra nossas instituições”.

Quanto aos extremos do espectro político, ele afirmou que, “nós não temos duas verdades, a extrema-esquerda e a extrema-direita. Nós temos duas grandes mentiras, o petismo e o bolsonarismo. Duas mentiras que precisam ser enfrentadas”, apelou Alckmin.

Ainda durante o evento, Alckmin criticou o decreto de porte de armas assinado por Jair Bolsonaro, para ele, “distribuir” armas é “uma irresponsabilidade”.

Anúncios