Na cidade de São Paulo, participando de evento na Fiesp, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, defendeu que juízes não devem se guiar por paixões e ideologias. Ele disse que o poder judiciário deve se nortear pelos princípios constitucionais, mantendo um papel conciliador.

“Juiz não pode ter vontade. Se tiver vontade sai da magistratura, vai para política, para movimentos associativos, vai para o executivo, vai ser candidato”, disse.

A frase é uma resposta a intenção do presidente Jair Bolsonaro em indicar um ministro evangélico ao STF e as críticas quanto à criminalização da homofobia.

Anúncios

1 comentário »