O presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar, desta vez em entrevista ao La Nación, que se o filho e senador Flávio Bolsonaro tiver cometido algum ilícito, terá que pagar de acordo com a lei.

“Se fez algo errado, tem que pagar. Mas tenho confiança de que ele não fez nada de errado. Por outro lado, Fabrício Queiroz, um ex-subtenente da Polícia Militar que eu conheço desde 1984, foi um soldado da Brigada Paraquedista, meu soldado”, Bolsonaro defende o filho e dá a entender que Queiroz cometeu corrupção.

Bolsonaro ainda afirmou que o motivo da investigação sobre Flávio Bolsonaro tem a intenção de prejudicar seu governo, “mas meu filho responde por seus atos e está pronto para dar explicações. Até hoje não foi convocado a fazer”.

Anúncios