O governo conseguiu um acordo, nesta terça-feira (11), para aprovar os R$ 248,9 bilhões de crédito extra. A oposição não fará obstrução ao texto, para isso o executivo irá liberar R$ 1 bilhão para o programa Minha Casa Minha Vida, R$ 500 milhões para a transposição do Rio São Francisco, descontingenciar R$ 1 bilhão das universidades públicas e liberar R$ 330 milhões em bolsas para o Ministério da Ciência e Tecnologia.

O deputado Hildo Rocha (MDB-MA), relator do Crédito Suplementar na Comissão Mista de Orçamento (CMO), informou que os partidos chegaram ao acordo e o texto segue para aprovação no Congresso Nacional.

Bolsonaro em coletiva em Buenos Aires, Argentina

Apenas Angelo Coronel (PSD-BA), votou para um crédito menor, no valor de R$ 147 bilhões, ele argumenta que o governo não precisa do valor pedido.

A aprovação do crédito permite o pagamento do Bolsa Família, demais programas assistenciais sem que o presidente Jair Bolsonaro precise recorrer às “pedaladas fiscais”.

Anúncios

1 comentário »