O hacker que invadiu o smartphone do ministro Sérgio Moro e outros integrantes da Lava Jato, invadiu hoje (11) a conta do telegram do Conselheiro Marcelo Weitzel, integrante do Conselho Nacional do Ministério Público.

Segundo ele, o acesso forçado se dá pois “havia irregularidades na [Operação] Laja Jato que a população, inclusive vocês [ministério público], deveriam saber” e afirmou que acessa o aparelho de quem ele quiser, “quando eu quiser e pode ter verificação em 10 etapas”.

A pessoa por trás das “invasões” ainda não foi identificada, a Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, pediu a Polícia Federal para investigar o caso. O hacker ainda afirmou que não acessou dados pessoais dos envolvidos na “Vaza Jato”.

De acordo com as mensagens enviadas no grupo, o hacker disse não ser como a mídia diz e acusou o ministro da Justiça de publicar informação falsa, “não ligo para o telefone com o número internacional e tampouco o mesmo número (vide fake news do Moro)”.

Confira a conversa na íntegra:

Anúncios

1 comentário »