Em pronunciamento na Câmara dos Deputados, Marcelo Freixo (PSOL-RJ), afirmou que o presidente Jair Bolsonaro submete o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a “uma guerra ideológica”, em referência a demissão de Joaquim Levy, ex-ministro dos governos do PT, e que a diminuição dos recursos de 40% do Programa de Integração Social (PIS) para 28% “inviabiliza” o combate ao desemprego.

“O BNDES não pode ser submetido a uma guerra ideológica. São mais de 13 milhões de desempregados, 28 milhões no subemprego e o BNDES é fundamental pra garantir investimentos em infraestrutura que geram emprego. Se o banco tem problemas, vamos corrigi-los, mas não inviabilizá-lo”.

Veja o vídeo:

Anúncios