O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul em parecer enviado ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, nesta quarta-feira (26), pede o aumento da pena do ex-presidente Lula da Silva, na condenação relativa ao caso do sítio de Atibaia.

O processo foi protocolado na segunda instância e não tem prazo para julgamento. O MPF solicita que o petista seja condenado por outro crime de corrupção passiva, relativo às reformas feitas por José Carlos Bumlai no sítio.

Na primeira instância, Lula foi inocentado do crime de corrupção e condenado por lavagem de dinheiro, pela juíza Gabriela Hardt a 12 anos e 11 meses de prisão.

Anúncios