Um grupo de manifestantes agiu de forma fanática no protesto pró-Lava Jato que ocorreu hoje (30), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Em vídeo publicado nas redes sociais, é possível ver uma mulher rodeada por pessoas que desferem palavrões por ela ter pintado o cabelo de “vermelho”, os manifestantes de verde e amarelo associaram a cor do cabelo com a cor do Partido dos Trabalhadores (PT) e usaram disso como justificativa para descontar o ódio que sentem pela esquerda.

Vale ressaltar, como é possível ver nas imagens, que a mulher atacada estava defendendo as pautas da manifestação. A política de fomentar o ódio social contra o diferente pode se voltar contra si. Limitar o pensamento e diversidade de opiniões, forçando seus ideais de maneira irracional a ponto de desferir ataques ao próprio movimento, é a melhor representação do fascismo que estrutura parte da população.

Ao fundo de onde ocorrem as ofensas, é possível ver um cartaz pedindo que o presidente Jair Bolsonaro acione o Artigo 142 e implante a ditadura militar.

Vale ressaltar que, mais cedo o Movimento Brasil Livre (MBL) denunciou ataques de assessores do PSL contra manifestantes do movimento, incluindo famílias e crianças.

Anúncios