O governo, através do Ministério da Economia, fixou nesta segunda-feira (1), em resolução publicada no Diário Oficial da União (DOU), a meta da inflação em 3,50% para 2022, com tolerância de 1,50% para mais ou para menos.

O Banco Central fica autorizado a realizar modificações em “seus regulamentos e normas visando à execução do contido nesta resolução”.

Desde 2018 a taxa de inflação vem sendo reduzida em 0,25%, o instrumento utilizado pelo Banco Central do Brasil (BC) para averiguar e cumprir a meta inflacionaria é a selic (taxa básica de juros da economia). A partir da avaliação, o BC decide se aumenta ou diminui as taxas, influenciando o valor dos juros nos demais bancos públicos e privados, limitando ou expandindo o dinheiro no mercado.

Anúncios