A Polícia de Hong-Kong obrigou, hoje (2), os manifestantes a saírem do prédio do Parlamento, após 24 horas de ocupação. Milhares de pessoas protestam contra um projeto de lei elaborado por Carrie Lam, chefe do executivo, que permite extradição para a China continental de suspeitos de cometerem crimes políticos.

“O edifício LegCo foi violentamente atacado e invadido ilegalmente. A polícia condena severamente o ataque violento. A polícia conduzirá investigação em um curto período de tempo e tomará as medidas razoáveis. A polícia também apela aos protestantes não relacionados para que deixem a vizinhança”, diz o comunicado da polícia de Hong-Kong.

Já o governo chinês se manifestou ao afirmar que os protestos “violam o estado de Direito” e são “desafío ao controle chinês”, informa a Reuters. O governo chinês também criticou a interferência do presidente americano Donald Trump, que defendeu as pautas dos manifestantes.

Anúncios