Durante entrevista no G-20, em Osaka, no Japão, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que recebeu do ex-juiz Sérgio Moro uma “cópia do que foi investigado” do caso das candidaturas laranjas do PSL. O caso investigado pela Polícia Federal ocorre em segredo de justiça. Dois ex-assessores e um assessor do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio foram presos na semana passada por envolvimento no caso.

Entretanto, o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) emitiu nota ao Estadão, nesta sexta-feira (5), afirmando que a declaração de Bolsonaro não é verdadeira.

“O presidente da República foi igualmente informado dos fatos. Não sendo verdadeira a afirmação de que o MJSP teria ‘vazado’ a operação ou fornecido dados sigilosos ao presidente. Ressalta-se que as informações repassadas não interferem no trâmite das investigações, que ocorrem com total independência na Polícia Federal”. Questionado se Bolsonaro havia mentido à imprensa, o Ministério não se pronunciou.

Anúncios