De acordo com despacho presidencial publicado nesta segunda-feira (8) no Diário Oficial da União (DOU), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, requereu um afastamento de sete dias para tratar de “assuntos particulares”.

O ex-juiz que enfrenta uma série de vazamentos de supostas mensagens trocadas durante a Lava Jato, ficará afastado entre 15 e 19 de julho, sem receber salário. Segundo a pasta, seu afastamento não está ligado às reportagens do Intercept.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, também solicitou um afastamento do país para ir à Assunção, no Paraguai, se reunir com Mário Benítez, presidente do país.

Anúncios