O presidente Jair Bolsonaro irá apresentar um Projeto de Lei (PL) ao Congresso Nacional para normalizar o voto impresso no Brasil. Em transmissão no Facebook, na sexta-feira (12), o chefe do executivo afirmou que pretende melhorar a “transparência” e consequentemente diminuir possíveis fraudes.

De acordo com Raquel Dodge, Procuradora-geral da República, a volta do voto impresso pode fazer com que os eleitores sejam coagidos a votarem em candidatos que não têm interesse, pois traz de volta o risco ao sigilo da informação.

Segundo o Nexo Jornal, o novo modelo de voto impresso funcionaria da seguinte forma: quando o eleitor concluir seus votos, a urna eletrônica vai gerar um papel com os dados de candidatos que foram escolhidos para que o cidadão possa conferir se o registro está certo. Em seguida, a urna eletrônica deposita o documento impresso em uma outra urna. O eleitor não terá como tocar no comprovante, que fica atrás de uma janelinha de vidro, e ninguém mais está autorizado a consultar o papel. Os documentos só seriam consultados pelo TSE para realização de auditorias.

Anúncios