Eduardo Hage, procurador da República e coordenador da operação Lava Jato, disse nesta terça-feira (16), que a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, irá suspender “praticamente todas as investigações de lavagem de dinheiro no Brasil”.

Mais cedo, o ministro suspendeu as investigações em que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Banco Central e Receita Federal compartilharam dados com o Ministério Público Federal sem autorização judicial. Como noticiou o Ler Agora.

Para El Hage, a exigência de decisão judicial para a utilização de relatórios do Coaf “ignora o macrossistema mundial de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento ao terrorismo e aumenta o já combalido grau de congestionamento do Judiciário brasileiro.” O procurador considera a decisão do presidente da Corte um “retrocesso sem tamanho” e espera que ela seja revertida pelo plenário. O julgamento está marcado para novembro deste ano, de acordo com informações do Estadão.

Anúncios