O deputado Federal, Filipe Barros (PSL-PR), protocolou na Procuradoria-Geral da República um pedido de prisão temporária para o jornalista e editor-chefe do Intercept, Glenn Greenwald, nesta sexta-feira (26). “Sua profissão não lhe confere salvo-conduto para cometer crimes. Jornalistas também estão sob a lei”.

Dentre as razões que “baseiam” a “denúncia” do deputado, estão a suposta atuação em conjunto do hacker e do jornalista, uma incongruência na afirmação do hacker sobre ter entregue os diálogos gratuitamente à Greenwald mas ter tentado vender ao PT, o Coaf ter encontrado cerca de R$ 630 mil em transações suspeitas na conta bancária do hacker e os R$ 100 mil encontrados na casa de um dos suspeitos.

Baixe as imagens abaixo para ler o documento entregue pelo deputado à PGR:







Anúncios