O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que gravou um vídeo defendendo a liberdade de imprensa e sigilo da fonte “garantidos pela Constituição Federal”, foi ao Twitter nesta quarta-feira (31) para criticar a postura do jornalista Glenn Greenwald por ter postado “sua própria interpretação sobre o vídeo”, manipulando a “verdade”.

Em publicação feita em rede social, Greenwald afirma que Maia insinuou que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, cometeu crime, e teve a intenção de defender o Intercept e o vazamento das mensagens das “ameaças” do presidente Jair Bolsonaro.

Anúncios