O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), culpou o comunismo pelas mortes que ocorreram durante o regime militar no Brasil e lamentou que tenham ocorrido “dos dois lados”. Na avaliação dele, se não fosse a intenção em implantar o regime comunista no Brasil as baixas não teriam ocorrido.

“É uma verdade, a verdade dói, machuca, tá certo. Agora, lamento todas as mortes que tiveram dos dois lados. Se não tivesse aquela vontade de implantar o comunismo no Brasil, não teria acontecido nada disso. Se tivessem aceitado a normalidade que acontecia, nada teria [ocorrido].”

Durante sua fala, nessa quinta-feira (1), Bolsonaro informou que se encontrou com o filho do jornalista Edson Carvalho, morto após uma bomba, implantada pelo grupo extremista Ação Popular em 1966, explodir no aeroporto de Recife. O almirante reformado Nelson Gomes Fernandes morreu no ataque e outras 14 pessoas ficaram feridas.

Anúncios