Por decisão da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) não terá acesso ao inquérito dos hackers que invadiram os smartphones de autoridades e foram presos em julho pela Operação Spoofing, da Polícia Federal (PF).

De acordo com a decisão da Justiça, a solicitação da OAB não tem legalidade e portanto é nula. O entendimento é o mesmo do Ministério Público Federal (MPF). A OAB pediu acesso à operação após o ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmar que pretende destruir as provas obtidas com os criminosos, segundo revelou nota emitida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Anúncios