O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou que sua atuação no governo visa combater o crime organizado por intermédio da Polícia Federal. Após a divulgação nessa sexta-feira (9) dos áudios em que líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) o ameaçam, Moro não se intimida, diz que “tudo tem um preço” e defende a aprovação do pacote anti-crime.

Através da Operação Cravada, a PF tem combatido as facções atacando o coração financeiro, na última quarta-feira foram cumpridos 30 mandados de prisão e 400 contas do PCC foram bloqueadas. “O compromisso assumido com o presidente Bolsonaro foi sermos firmes contra corrupção, crime organizado e crimes violentos. Essa foi a orientação feita à Polícia Federal que tem o mérito pelas recentes operações, afirmou o ministro ao Estadão.

LAVA JATO

O ministro que atualmente é o “chefe” da Polícia Federal tem sua atuação como juiz contestada. Sérgio Moro é alvo de vazamentos de mensagens, pelo site Intercept e parceiros, que revelam uma atuação parcial na operação Lava Jato.

Ontem, o El País publicou uma reportagem na qual detalha que integrantes da operação Lava Jato trabalharam para pressionar a Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, através de vazamentos à imprensa para forçá-la a liberar delações para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Anúncios