Mario Abdo Benítez, atual presidente do Paraguai, presta depoimento ao Ministério Público, neste domingo (11), ao acordo com o governo brasileiro que elevaria em até US$ 300 milhões os gastos dos paraguaios para comprar energia produzida em Itaipu. Dois integrantes do alto escalão do governo caíram.

Benítez sofreu ameaça de impeachment após acetar sigilosamente os termos do acordo com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), sem consultar o Congresso do Paraguai. A consequência do acordo, anulado após a exposição pública, seria o aumento dos valores da conta de luz dos paraguaios.

Anúncios