Azevedo admite a interlocutores que deixou Defesa por pressão para envolver politicamente as Forças Armadas

 Azevedo admite a interlocutores que deixou Defesa por pressão para envolver politicamente as Forças Armadas

José Cruz/Agência Brasil

O ex-ministro da Defesa Fernando Azevedo e Silva admitiu a interlocutores que se sentia desconfortável no governo e havia uma pressão para maior envolvimento político das Forças Armadas, o que ele não permitiu e terminou por levar a seu afastamento. A informação é da Reuters.

Por mais de uma vez, Bolsonaro declarou que é “comandante supremo” das Forças Armadas, o que é um fato constitucional, mas várias vezes as chamou de suas, o que não é o caso. As Forças Armadas não são de um presidente ou governo, mas do Estado brasileiro, independentemente de quem seja o governante, informa.

[…]

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações