Bolsonaro nega compra de vacina chinesa e fala em traição

 Bolsonaro nega compra de vacina chinesa e fala em traição

(Brasília – DF, 27/04/2020) Coletiva de imprensa com Ministro da Saúde, Nelson Teich..Fotos: José Dias/PR

Engana-se quem pensou que ter um general aliado no Ministério da Saúde, mesmo sem capacidade técnica para atuar na área, seria o suficiente para que o presidente Jair Bolsonaro parasse de interferir em decisões tomadas pela pasta.

Em resposta a um comentário de um adolescente, Bolsonaro disse que o governo federal não vai comprar as 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, como pretendia a Saúde.

“Presidente, a China é uma ditadura, não compre essa vacina, por favor. Eu só tenho 17 anos e quero ter um futuro, mas sem interferência da Ditadura chinesa”, disse o apoiador mirim. E Bolsonaro respondeu: “Não será comprada”.

No dia anterior, o general anunciou um acordo com o estado de São Paulo, governado por João Doria, desafeto do ex-capitão, para adquirir as doses.

Outro bolsonarista acusou Pazuello de traição pela tentativa de acordo, no que Bolsonaro respondeu: “Qualquer coisa publicada, sem comprovação, vira TRAIÇÃO”.

Uma terceira internauta escreveu que “ao que tudo indica” Pazuello é um “Mandetta milico” ocupando o cargo na Saúde. Bolsonaro também deu trela e disse que: “Tudo será esclarecido hoje. Tenha certeza, não compraremos vacina chinesa. Bom dia”.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações