Chifrudo que invadiu o Capitólio pede desculpas e deve usar Trump como ‘escudo’ para se defender

 Chifrudo que invadiu o Capitólio pede desculpas e deve usar Trump como ‘escudo’ para se defender

O extremista que ficou conhecido como o “viking” e “chifrudo” nas redes brasileiras, após a invasão ao Capitólio dos Estados Unidos no 6 de janeiro, desculpou-se por meio de seu advogado por participar do ataque e aproveitou para criticar o ex-presidente Donald Trump.

Jacob Chansley, 33, nascido no estado do Arizona, está na prisão há mais de um mês e usou seu advogado de defesa, Al Watkins, para fazer uma retratação. De acordo com a agência de notícias AP, o extremista reconhece que não deveria ter entrado no prédio do Capitólio e colocou a culpa pela ação em Trump.

Chansley acredita que Trump influenciou muitas pessoas pacíficas a realizar a invasão. “[Trump] decepcionou muitas pessoas pacíficas“, disse ele antes de pedir paciência e compreensão.

“Seja paciente comigo e com outras pessoas pacíficas que, como eu, estão tendo dificuldade em juntar as peças de tudo o que aconteceu conosco, ao nosso redor e para nós. Somos gente boa, que se preocupa profundamente com o nosso país”, declarou, através do advogado.

O arrependimento veio horas antes do início do segundo julgamento de impeachment contra Trump pelo Senado dos Estados Unidos. Em vez de ficar a favor do bilionário, Chansley usará Trump como um escudo para se defender contra as acusações que recaem sobre si.

Sempre usando referências aos povos indígenas tradicionais dos Estados Unidos o extremista de 33 anos, membro da organização conspiracionista de extrema-direita QAnon, já foi fotografado militando em outros protestos a favor de Trump.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações