Declaração de Gilmar sobre ‘genocídio’ acirra ânimos com as Forças Armadas, diz CNN

 Declaração de Gilmar sobre ‘genocídio’ acirra ânimos com as Forças Armadas, diz CNN
Digiqole ad

A declaração do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, sobre as Forças Armadas estarem se associando a um “genocídio”, acirrou os ânimos com os militares. Atualmente, o Ministério da Saúde está tomado por militares, sem conhecimento técnico para atuar na pasta.

O incômodo foi tanto, que o ministro da Defesa, Fernando Azevedo; Edson Pujol (Exército); Antonio Carlos Moretti (Aeronáutica); e Ilques Barbosa (Marinha) passaram as últimas 24h preparando uma reação.

A primeira nota emitida foi considerada branda, então uma segunda nota citando nominalmente Gilmar Mendes foi elaborada. Porém, com o receio de acirrar os ânimos entre Executivo e Judiciário, ficou decidido não divulgá-la.

De acordo com informações da CNN Brasil, uma operação nos bastidores começou a ser feita. A cúpula das Forças Armadas entrou em contato com outros integrantes do Judiciário pra externar a indignação e pediram que o recado fosse passado a Gilmar Mendes.

Hoje, (12), Gilmar Mendes voltou a tocar no assunto, de forma mais branda. “Não me furto, porém, a criticar a opção de ocupar o Ministério da Saúde predominantemente com militares. A política pública de saúde deve ser pensada e planejada por especialistas, dentro dos marcos constitucionais. Que isso seja revisto, para o bem das FAs e da saúde do Brasil”, disse, nas redes sociais.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações