Defensor do voto em papel, Bolsonaro foi acusado de fraude de cédula em 1994

 Defensor do voto em papel, Bolsonaro foi acusado de fraude de cédula em 1994
Digiqole ad

Nas últimas semanas, o presidente Jair Bolsonaro tem defendido o fim das urnas eletrônicas e a volta do voto em papel no país. Ele argumenta, sem provas ou estudos, que as eleições seriam mais seguras e se evitariam possíveis fraudes.

No entanto, segundo uma reportagem do Jornal do Brasil, datada de 17 de novembro de 1994, Bolsonaro teria sido beneficiado por fraude em cédula de votação na eleição que ocorreu naquele mesmo ano.

No período, ele disputava a eleição pelo Partido Progressista Reformador ao cargo de deputado federal. Segundo a notícia intitulada “Roubo no Varejo”, foram encontradas cédulas falsas que beneficiavam alguns candidatos, dentre eles estava Bolsonaro.

A suspeita de fraude aconteceu após detectarem que as cédulas foram feitas em um papel mais fino. A notícia foi resgatada pelo jornalista Guga Noblat e compartilhada em seu perfil.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações