Grupo invade hospital um dia após Bolsonaro instigar apoiadores

 Grupo invade hospital um dia após Bolsonaro instigar apoiadores

O hospital municipal Ronaldo Gozolla, referência no tratamento da Covid-19 no Rio de Janeiro, foi invadido, hoje (12), por um grupo de ao menos seis pessoas que provocou confusão e tentou invadir alas restritas aos pacientes infectados com a doença provocada pelo novo coronavírus, de acordo com o Globo.

Segundo fontes ouvidas pelo Globo, as pessoas seriam parentes de uma pessoa que morreu por coronavírus na unidade nesta manhã. Revoltados, eles gritavam, pelo quinto andar da unidade, que tinham direito de verificar os leitos, para ver se estavam mesmo ocupados, e por vezes, ainda segundo relatos de quem presenciou tudo, também gritavam: “Mentira! mentira!”. O doutor Alex Telles, médico da unidade e presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sindmed), explica os gritos. Eles questionavam o fato de a parente deles, uma senhora, que estava bem no dia anterior, ter morrido com suspeita do coronavírus nesta sexta. O doutor afirma que aquelas pessoas não deveriam ter sido autorizadas pelo hospital a subir para o andar dos doentes.

Vale ressaltar que a invasão ocorre um dia após o presidente Jair Bolsonaro aparecer em uma transmissão incitando seus apoiadores a invadirem os hospitais. O objetivo seria para verificar se os leitos distinados aos pacientes da Covid-19 estão vazios ou ocupados.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Me siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações