Hacker da “Vaza Jato” pensava que documentos mudariam país “do dia pra noite”

 Hacker da “Vaza Jato” pensava que documentos mudariam país “do dia pra noite”

Foto: Wikipédia

O hacker responsável por vazar conversas de procuradores da operação Lava Jato e do ex-ministro Sergio Moro dixia que as mensagens, tornadas públicas, tinham potencial para mudar o cenário político Brasil da noite para o dia, com possibilidade para a decretação de “estado de sítio” no país.

O relato se encontra no livro “Vaza Jato: os bastidores das reportagens que sacudiram o Brasil” e foi feito para a candidata à prefeitura de Porto Alegre, Manuela D’Ávila, através de mensagens enviadas pelo Telegrama, aplicativo de mensagens.

O contato entre os dois aconteceu em maio de 2019. O hacker dizia que queria ajudar o país com as informações as quais teve acesso. Para convencê-la do grau de importância a cerca dos dados, ele afirmou que o então procurador da lava jato, Deltan Dallagnoll, poderia ser preso e o ex-presidente Lula da Silva poderia ser liberto.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações