JN expõe suspeita de participação da Universal em esquema de corrupção de Crivella

 JN expõe suspeita de participação da Universal em esquema de corrupção de Crivella
Digiqole ad

A investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) sobre a Operação Hades foi destaque na edição de ontem (12) do Jornal Nacional. O inquérito investiga o que seria um “QJ da Propina” na prefeitura da capital carioca, que teria como chefe o prefeito Marcelo Crivella, bispo da Igreja Universal, comandada por Edir Macedo, que também é dono da Record.

Logo na abertura do telejornal, a apresentadora Renata Vasconcellos disse que “o MP afirma que a Igreja Universal do Reino de Deus foi usada para lavar dinheiro desviado no esquema de corrupção da Prefeitura do Rio”.

Em documento enviado à Justiça, o Subprocurador-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e de Direitos Humanos do MPE Rio, Ricardo Ribeiro Martins, diz que o MP encontrou indícios de “movimentações atípicas” em valores bilionários envolvendo a Universal. E, seria “verossímil concluir que a entidade religiosa está sendo utilizada como instrumento para lavagem de dinheiro fruto da endêmica corrupção instalada na alta cúpula da administração municipal”.

O MP também aponta o “envolvimento de Mauro Macedo [primo de Edir Macedo] na trama criminosa”, em movimentações que seriam de cerca de R$ 6 bilhões.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações