Lideranças do PSL negam se reaproximar de Bolsonaro: ‘não estamos à venda’

 Lideranças do PSL negam se reaproximar de Bolsonaro: ‘não estamos à venda’
Digiqole ad

Se depender das lideranças do PSL, a tentativa do presidente Jair Bolsonaro de se reaproximar da sigla deve fracassar. Bolsonaro busca aumentar sua base no Congresso, que está restrita à quantidade de verbas e cargos que pode disponibilizar ao chamado centrão.

Políticos como a deputada Joice Hasselmann, Major Olímpio – líder no Senado – e Júnior Bozzella – líder do PSL de São Paulo – se posicionaram contra a reaproximação. A manifestação contrária mais efusiva partiu de Olímpio, que ameaçou deixar o partido caso a reaproximação seja efetivada.

Por sua vez, Hasselmann disse que o PSL “não está à venda e não participará do tomá-la-dá-cá do governo”. O partido “continua sem se dobrar a um governo que traiu o que prometeu à nação brasileira”, escreveu.

Em nota enviada ao UOL, Bozzella rechaçou a possibilidade de reaproximação com o Planalto. “Muito obrigado, presidente, mas nós não estamos à venda. Por gentileza, guarde os seus cargos para o Centrão e os seus amigos de estimação”.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações