Médico de Bolsonaro erra e diz que vacina contra covid matou voluntário

 Médico de Bolsonaro erra e diz que vacina contra covid matou voluntário
Digiqole ad

Antonio Luiz Macedo, cirurgião e médico do presidente Jair Bolsonaro, divulgou um áudio em que diz, equivocadamente, que um médico voluntário brasileiro morreu por causa de uma vacina em testes contra a Covid-19.

Apesar dos mais de 160 mil mortos no país, ele ainda afirma nos áudios que circulam no WhatsApp que, se o tratamento for bem feito, a Covid-19 não mata ninguém.

“Os trabalhos tem que ser feitos com mais seriedade, menos oba oba. De modo que não se admita que um médico de 28 anos de idade morra testando vacina”. Ele também pontua que “não somos cobaias para sermos testados com vacina que não tem aprovação de ninguém”.

O médico brasileiro João Pedro Feitosa, que morreu em decorrência de complicações da Covid-19, fazia parte do grupo de controle da vacina de Oxford que recebeu um medicamento sem efeitos, um placebo, para comparar a eficácia e os efeitos colaterais com o grupo de controle que recebeu o imunizante verdadeiro.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações