Não é um número que fará diferença, diz Pazuello sobre 100 mil mortes

Digiqole ad

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, defendeu o tratamento precoce do novo coronavírus, apesar de não existir medicamento que tenha eficácia comprovada cientificamente contra a Covid-19, e afirmou que a marca de 100 mil mortos pela pandemia não causa impacto direto na política de combate ao vírus

A declaração foi feita durante a inauguração de uma unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz.

“Não é um número que vai fazer a diferença. Não é 95, 98 ou 101 que vai fazer a diferença. O que faz a diferença é cada brasileiro que se perde. Nós precisamos compreender como parar o sangramento com diagnóstico precoce, tratamento imediato e suporte respiratório antes a UTI”.

E, de acordo com o UOL, completou: “O brasileiro que tiver qualquer sintoma deve procurar o médico, esse médico tem todo o poder soberano de diagnosticar de forma clínica, com base em exames de imagens e testes para definir o tratamento. O brasileiro que for diagnosticado, receba a prescrição dos medicamentos e tome. Não agravando seu quadro, ele não precisará de UTI”.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações