‘Não era filmagem, era uma forma de agressão’, diz fiscal da Saúde

 ‘Não era filmagem, era uma forma de agressão’, diz fiscal da Saúde
Digiqole ad

O superintendente da Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro, Flávio Graça, formado em Medicina Veterinária e com doutorado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, disse estar impressionado com a repercussão das imagens em que ele aparece sendo agredido verbalmente por um casal durante fiscalização no setor em que trabalha.

As agressões e humilhações, como a que foi veiculada pelo fantástico, no domingo (5), não são incomuns no cotidiano dos fiscais que tentam fazer cumprir as regras de distanciamento social e limpeza dos estabelecimentos em meio à pandemia.

“As pessoas começaram a proferir palavras agressivas, xingamentos, palavras de baixo calão. Aí pegaram o celulares e colocaram apontando diretamente para o rosto dos fiscais, a cinco ou dez centímetros do rosto. Não era uma filmagem, era uma forma de agressão”, disse, segundo o G1.

Tiago Lopes

Sou Jornalista, formado no início de 2020. Mantenho o Ler Agora desde dezembro de 2018. Escrevo sobre política. Siga no Twitter: @tiagolopes_jorn

Outras Notícias

Criado por: Inove Criações